Última Hora: Morreu Medina Carreira, ex-ministro das Finanças

Henrique Medina Carreira faleceu hoje aos 85 anos de idade. Ex-ministro das finanças no primeiro governo constitucional de Portugal, e ultimamente comentador televisivo, não resistiu a uma doença prolongada, adianta a SIC Notícias.


JÁ SABIAS?

A 1xbet agora oferece 130€ a novos clientes! Além disso, na 1xbet podes assistir a transmissões de jogos ao vivo! Regista-te aqui!

medina

Henrique fez parte do governo por duas vezes mas foi nos nossos ecrãs que acabou por ficar mais conhecido. As suas análises controversas ao panorama do país não deixavam ninguém indiferente. Ao contrário do que estamos habituados a ver, Medina Carreira abordava os temas de forma considerada pessimista por alguns, realista pelo próprio. Sem “papas na língua”, Henrique tinha consciência que por vezes poderia ser “incómodo”, mas era a sua forma de abordar os temas, de forma sincera e directa.

“Foi no Governo que conheci os maiores hipócritas deste país, são pessoas que raramente dizem o que pensam”, disse Henrique numa entrevista que deu à revista Sábado no ano passado.

Na mesma entrevista terá disto ainda que a sua opção de entrar no Governo fê-lo perder dinheiro, mas não era algo de que se queixasse. “Não sou dado a extravagâncias, tenho pares de sapatos com mais de 20 anos, moro próximo de um Centro Comercial onde existe um italiano que é a minha cantina. Estive há pouco tempo no Porto e fiquei numa pousada daquelas onde escolhemos o prato, e quando ele vem não sabemos bem o que é aquilo”.

Formado nos Pupilos do Exército onde conseguiu o seu Bacharelato em Engenharia Mecânica, ingressou mais tarde na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa onde concluiu o curso de Direito. Estudou ainda Economia no Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras, sem no entanto ter concluído o curso.

VEJA TAMBÉM:  União Zoófila ASSALTADA e vandalizada! 200 gatos precisam de ajuda URGENTE!

Como comentador Medina Carreira foi sempre bastante crítico em relação ao rumo que as finanças do país estavam a levar, e ao crescente aumento da dívida pública. Recentemente chegou mesmo a afirmar “Portugal é uma caso de falência democrática”, tecendo sérias críticas aos actuais governantes.

Partilha nas redes sociais!

Utilizamos cookies para assegurar que tem uma melhor experiência ao visitar o nosso website